GENTE BRASILEIRA

GENTE BRASILEIRA
No dicionário de baianês, de Nivaldo Lariú, ser primo carnal de Buck Jones é ser uma pessoa sem importância. Talvez para um americano, Buck Jones seja um ator de filme de faroeste. Mas para quem acompanhou a música baiana de carnaval dos anos 80, Buck Jones era um astro, que juntamente com as irmãs Janete e Jaciara fizeram a primeira formação da Banda Mel (que depois virou Bamdamel, já com outra formação).
Pouca gente sabe, mas Buck Jones (Ou seria Buk Jones, como aparecem em algumas imagens de trio?) começou numa banda chamada Novos Bárbaros. Da Cidade Baixa de Salvador, pouca gente que tem menos de 30 anos tem dimensão do sucesso que o trio fazia na época. Digamos, em 1986, se alguém perguntasse quem fazia mais sucesso: Chiclete com Banana ou a Banda Mel, certamente a resposta seria: Banda Mel, que se lançou primeiro com a música “Força interior”, e estourou com a música “Faraó”, depois vindo “Ladeira do Pelô” e “Asas do Prazer”; Em 1987, quando Durval Lélis mal começava a fundar a banda Asa de Águia, a Banda Mel fazia o maior sucesso com “Bagdá”, e “Protesto Olodum”, que foi escolhida como a melhor música do carnaval de 1988.
Depois de saírem da Banda Mel, Buck, Janete e Jaciara formaram a Banda Gente Brasileira. No primeiro ano, fizeram o maior sucesso, com algumas músicas que se tornaram clássicos na virada de 1989/1990: “Dá licença”, “Fúria Louca” e “Amazônia”. Saíram no Bloco “Os Internacionais”.
Eles fazem parte da história do carnaval da Bahia. Buck Jones foi homenageado por Saulo Fernandes (Banda Eva) no carnaval de 2010. Me lembro da época da Banda Mel, Buck, Janete e Jaciara tinham uma garra num canto quase amador, mas que contagiava muita gente no carnaval.

 

Nenhum comentário

Postar resposta

© 2012 Casa da Música - Todos os Direitos Reservados